A sua melhor mentira

“A mulher que mais amou neste mundo morreu antes de saber o que era o amor” .

Noel Rosa (Ilustração Luquefar)

O poeta convive com a mentira. Os artistas são experts da ilusão, da aparência, da representação. Fábulas, contos, ficções e fantasias compõem o mundo mágico da criação, de quanto melhor o faz-de-conta, mais genuíno o que se conta. Afinal, mentira e realidade se confundem na vida dos homens, desde seus primórdios, nesta representação verdadeira pela manutenção da espécie, na busca da sobrevivência, e, especialmente, da felicidade – razão do viver.

Na verdade, nossa percepção nos engana. A realidade tem caminhos tortuosos, que nos levam a diferentes proposições sobre uma mesma situação. Tantas quantos forem os observadores. Diante das coisas como se apresentam, nada existe exatamente como vemos. Ou como cremos ver, inocentemente… Embaraçam ainda mais esta realidade, os complexos caminhos do amor e da paixão, na relação do homem e da mulher, cada um na subjetividade de seu mundo.

Tudo o que vemos pode ser mentira. E, por esta forma, mentira de nossos olhos. Os mesmos olhos que mentem quando contam o que não viram… Olhos que brilham, encantadores e incendeiam em simulacros e devaneios. Olhos a nos revelar segredos. Olhos que choram, que se apaixonam, que se atraem. Olhos da traição. Olhos da ilusão. Olhos da emoção. E, assim como nossos olhos, a mentira é parte de nós mesmos e, em última instância, cúmplice de nossa sorte e fado.

Está aí Noel de Medeiros Rosa que não nos deixa mentir. Aliás, este poeta não mente: assume gostosamente a mentira como algo sublime e necessário. Quem não deseja o mal ao próximo, mente! O próprio mundo ensina a mentira como forma de esconder mágoas que não precisam ser ditas, de não ferir com a franqueza ou para tornar alguém feliz. Poetas como Noel, traduzem assim suas verdades, observando os homens em busca da felicidade, mentindo, docemente, mentindo…

Na próxima edição, domingo, 25 de julho: A EVOLUÇÃO DA RAIZ.

As músicas relacionadas

VOCÊ SÓ… MENTE (Noel Rosa-Hélio Rosa) 

Fox-trot. Primeira gravação em 1933 com Francisco Alves e Aurora Miranda (78 rpm selo Odeon 11.043-a)

Não espero mais você
Pois você não aparece
Creio que você se esquece
Das promessas que me faz
E depois vem dar desculpas
Inocentes e banais
É por que você bem sabe
Que em você desculpo
Muita coisa mais

O que sei somente
É que você é um ente
Que mente inconscientemente
Mas finalmente
Não sei por que
Eu gosto imensamente de você

E invariavelmente
Sem ter o menor motivo
Em um tom de voz altivo
Você quando fala mente
Mesmo involuntariamente
Faço cara de contente
Pois sua maior mentira
É dizer à gente
Que você não mente

O que sei somente
É que você é um ente
Que mente inconscientemente
Mas finalmente
Não sei por que
Eu gosto imensamente de você

Hélio Rosa – Hélio de Medeiros Rosa (29/12/1914 – 15/04/1974) do Rio de Janeiro, RJ. Compositor, violonista, veterinário e médico, único irmão de Noel Rosa, não seguiu carreira musical. Desde cedo dedicou-se ao estudo do violão, instrumento que manuseava com muita habilidade. Afora “Você só… mente”, outras parcerias dos irmãos se perderam.

Aurora Miranda – (20/04/1915 – 22/12/2005) do Rio de Janeiro, RJ. Cantora, irmã de Carmem Miranda. Iniciou-se na música ao lado de Chico Alves, em 1933. Este foxtrot está entre suas primeiras gravações. Depois do casamento aos 25 anos, gravou com menor regularidade até o final da década de 1950.

Sobre Francisco Alves – v. artigo “Prá ninguém zombar de mim”.

Somente Noel – letrista habilidoso e criativo, Noel trabalhava muito bem com rimas e adorava instigar-se na tarefa de rimar. Nesta canção, com grande leveza e bom gosto, usa e abusa das rimas e esbanja criatividade. Muitos irão aprender a forma de versificar “bossa nova” de Noel.

PRÁ QUE MENTIR (Noel Rosa-Vadico)

Samba. Primeira gravação em 1939 com Sílvio Caldas (78 rpm selo Victor n° 34.413-a – música de 1937)

Prá que mentir se tu ainda não tens
Esse dom de saber iludir?
Prá quê? Prá que mentir?
Se não há necessidade de me trair?

Prá que mentir, se tu ainda não tens
A malícia de toda mulher?
Prá que mentir
Se eu sei que gostas de outro
Que te diz que não te quer?

Prá que mentir
Tanto assim
Se tu sabes que eu já sei
Que tu não gostas de mim?
Se tu sabes que eu te quero
Apesar de ser traído
Pelo teu ódio sincero
Ou por teu amor fingido?

Sobre Vadico – v. artigo “Eu ando sem l’argent toujours”.

Sobre Sílvio Caldas – v. artigo “Era a lua que tudo assistia”.

Noel amargo – Em 1937 Noel vê piorado seu estado de saúde. Continua compondo lindamente, apesar da amargura. O fim está próximo. Este samba, em parceria com Vadico, é outro que não terá tempo para ver gravado.

MENTIRAS DE MULHER (Noel Rosa)

Samba. Primeira gravação em 1932 com Noel Rosa e Arthur Costa (78 rpm selo Columbia n° 22.083-b)

(São mentiras de mulher
Pode crer quem quiser)

Que eu tenho horror ao batente
E não sou decente
Pode crer quem quiser
Que eu sou fingido e malvado
E até sou casado
São mentiras de mulher

Quando no reino da intriga
Surge uma briga
Por um motivo qualquer
Se alguém vai pro cemitério
É por que levou a sério
As palavras da mulher

Que eu tenho horror ao batente
E não sou decente
Pode crer quem quiser
Que eu sou fingido e malvado
E até sou casado
São mentiras de mulher

Esta mulher jamais se cansa
De fazer trança
Na mentira é um colosso
Sua visita é tão cacete
Que escrevi no gabinete:
Está fechado para almoço

Que eu tenho horror ao batente
E não sou decente
Pode crer quem quiser
Que eu sou fingido e malvado
E até sou casado
São mentiras de mulher

Esta mulher, de armar trancinha
Ficou magrinha
Amarela e transparente
Quando vai ao ponto marcado
De um encontro combinado
Dizem que ela está ausente…

Sobre Arthur Costa – v. artigo “Eu ando sem l’argent toujours”.

Fazer trança – na gíria antiga significa fazer intriga, o mesmo que “armar trancinha”.

TUDO QUE VOCÊ DIZ (Noel Rosa)

Samba. Primeira gravação em 1933 com Francisco Alves e Mário Reis

Tudo que você diz
Com a maior lealdade
É mentira
É usar de falsidade
Fale a verdade

Toda a gente fingida
Paga o mal que fez nesta vida
Por encher de ilusão
O pobre coração

Pode crer que a mentira
O sossego sempre nos tira
Fale sempre a verdade
Mesmo sem ter vontade

Tudo que você diz
Com maior lealdade
É mentira
É usar de falsidade
Fale a verdade

Sobre Mário Reis – v. artigo “Prá ninguém zombar de mim”.

MENTIR ou MENTIRA NECESSÁRIA (Noel Rosa)

Samba. Primeira gravação em 1933 com Mário Reis

Mentir, mentir, somente prá esconder
A mágoa que ninguém deve saber
Mentir, mentir, em vez de demonstrar
A nossa dor num gesto ou num olhar
Saber mentir é prova de nobreza
Prá não ferir alguém com a franqueza
Mentira não é crime
É bem sublime o que se diz
Mentindo prá fazer alguém feliz

É com mentira que a gente
Se sente mais contente
Por não pensar na verdade
O próprio mundo nos mente
E ensina a mentir
Chorando ou rindo sem ter vontade

E se não fosse a mentira
Ninguém mais viveria
Por não poder ser feliz
E os homens contra as mulheres na terra
Então viveriam em guerra
Pois no campo do amor
A mulher que não mente não tem valor

Anúncios
Esse post foi publicado em Noel Rosa e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para A sua melhor mentira

  1. allan diniz disse:

    muito bom, como posso baixar essas músicas ? !

    abraço

    • toninhocamargos disse:

      Agradecemos. Neste blog, as músicas estão disponíveis para audição. Faça bom proveito com nosso grande Noel Rosa.

  2. Gostaria de saber mais sobre o irmão do Noel, o Hélio. Fazia parte também dos Tangarás?
    Quem o cantor principal no vídeo histórico: http://www.youtube.com/watch?v=26GAxh6_aKI ?. Abraços

    • toninhocamargos disse:

      Obrigado, Dagoberto.
      O Hélio Rosa, irmão mais novo de Noel, não se dedicou profissionalmente à música, apesar de tocar bem o violão e chegar a compor. Foi veterinário e depois formou-se em medicina. Também não integrou os Tangarás. No blog, em duas edições, constam informações sobre o grupo, liderado por Almirante, o personagem central do vídeo referido; tornou-se produtor destacado do rádio brasileiro e colecionou acervo de música importantíssimo, hoje no Museu da Imagem e do Som do RJ.

  3. Humberto Medeiros disse:

    Ainda resta esperança ante essa mediocridade geral que reina hoje neste país, no campo da música, com páginas maravilhosas como essa na internet. Porque não se fazem mais arranjos assim ? Vê-se que a orquestra praticamente marcava o ritmo, a percussão nem aparecia tanto, aliás o Bando dos Tangarás foi o primeiro grupo a colocar percussão nas gravações. Parabéns por esse material maravilhoso de nosso genial Noel, apenas com o tema mentira, deslealdade, etc.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s